Archive for maio, 2009

Maio…

Canta Paula e o Kid Abelha

É, maio já está no final mesmo.
Hoje pela manhã foi o sepultamento do Mestre Dica da Unidos da Coloninha. Mas, como a vida continua e tem que continuar mesmo. Hoje a noite tem a gravação do CD Ao Vivo do Grupo Atrevidos no Floripa Music Hall

Propaganda

Com certeza estarei lá!
Refrescar as idéias, encontrar os amigos. Afinal… Hoje é sexta-feira!!!

Um bjo do Rapha!

Canta Atrevidos

Adeus

Reescrevo aqui o texto escrito pelo Juninho de Oliveira, Vice Presidente de Marketing e Novos Projetos da Unidos da Coloninha, e colocado na comunidade da Escola no orkut.
Dica
LUTO
A Unidos da Coloninha, hoje chora a perda de um ex-presidente, mestre de bateria e principalmente um dos grande idealizadores da nossa entidade.

Aos 55 anos de idade Adir Manoel da Cunha o “mestre Dica” como era conhecida não resistiu ao câncer, que a poucos ficou sabendo ter, parte nesse momento um dos grandes do Carnaval não de Florianópolis como do Mundo, pois, por muitas vezes “Mestre Dica” com sua equipe de show viajou o mundo para representar não só a Unidos da Coloninha como Santa Catarina, países como França o que resultou em um belissímo laço de amizades,…

Mestre Dica, nos deixa aos 55 anos, nascido em 11 de março de 1954, pai de 8 filhos e avô de 8 netos, um grande mestre de bateria, compositor, sambista e o único por duas vezes presidente da Unidos da Coloninha.

Hoje a Unidos da Coloninha está triste com a perda deste que muito lutou por nossa escola, mas temos muito o que relembrar os momentos de alegria vividos ao lado do nosso eterno “Mestre Dica”.

Esteja em Paz!!!!
…………………………………..

Para quem conheceu o Mestre Dica ficam diversas lembranças desse grande personagem do carnaval de Florianópolis. Um dos mais folclóricos presidentes! Um dos grandes sambistas!

Estátua Adeus

Adeus

Já gastámos as palavras pela rua, meu amor,
e o que nos ficou não chega
para afastar o frio de quatro paredes.
Gastámos tudo menos o silêncio.
Gastámos os olhos com o sal das lágrimas,
gastámos as mãos à força de as apertarmos,
gastámos o relógio e as pedras das esquinas
em esperas inúteis.

Meto as mãos nas algibeiras e não encontro nada.
Antigamente tínhamos tanto para dar um ao outro;
era como se todas as coisas fossem minhas:
quanto mais te dava mais tinha para te dar.
Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes.
E eu acreditava.
Acreditava,
porque ao teu lado
todas as coisas eram possíveis.

Mas isso era no tempo dos segredos,
era no tempo em que o teu corpo era um aquário,
era no tempo em que os meus olhos
eram realmente peixes verdes.
Hoje são apenas os meus olhos.
É pouco mas é verdade,
uns olhos como todos os outros.

Já gastámos as palavras.
Quando agora digo: meu amor,
já não se passa absolutamente nada.
E no entanto, antes das palavras gastas,
tenho a certeza
de que todas as coisas estremeciam
só de murmurar o teu nome
no silêncio do meu coração.

Não temos já nada para dar.
Dentro de ti
não há nada que me peça água.
O passado é inútil como um trapo.
E já te disse: as palavras estão gastas.

Adeus.

Eugénio de Andrade

É isso!
Para todos um bjo do Rapha!

Hoje ao som da Bateria da S.R.C.U.C

Fundamental é ser feliz…

Felicidade…
kids
Sentimento que é tão almejado por todos. Nós passamos a vida inteira buscando a felicidade e parece difícil de ser encontrada. O problema é que atribuímos a responsabilidade da nossa felicidade aos outros, como se eles fossem culpados pela realização, ou não, dela. Mas como acabei de dizer, se é nossa como pode ser responsabilidade de outrem.

Acredito que nascemos para a alegria e o riso e que o ser humano tem o dever de ser feliz. Afinal, a felicidade pode ser aprendida, desenvolvida, recriada e aprimorada…A vida nos dá diversas chances para alcançarmos a felicidade. Se formos felizes, provavelmente teremos pessoas felizes ao nosso redor. Temos que admitir que apesar de todas as dificuldades do dia à dia, rimos mais do que choramos, conversamos mais do que nos lamentamos e ficamos mais alegres do que tristes, por isso, quero erradicar a infelicidade e levantar a bandeira da felicidade assumida.

O mundo depende de pessoas felizes para sobreviver, já que elas são mais rápidas para tomar decisões importantes, são menos afetadas por doenças e acidentes, têm mais amigos e levam uma vida social mais agradável, são menos egoístas e o mais importante, elas reagem positivamente às situações de adversidade e tem controle sobre o seu estado de espírito.
A felicidade é uma característica altamente valorizada nos dias de hoje, e que eu considero que deva ser meta de todo ser humano.Uma ação que possibilita o alcance desse objetivo é ajudar alguém. Se você conseguir colaborar com seus talentos e habilidades a favor do planeta e seus habitantes (uma tarefa muitas vezes difícil), sua vida jamais será a mesma. Porque dessa forma, com certeza, irá evoluir como pessoa, e também como espírito, se sentirá útil para a sociedade… Este último fator é importantíssimo, já que a felicidade hoje está diretamente relacionada a habilidades como bom relacionamento interpessoal, a coragem, a flexibilidade, fé, criatividade, força de vontade, ética, curiosidade, compaixão, produtividade, curiosidade, esperança e entusiasmo.
cão
Quando ajudamos alguém, estamos exercitando algumas dessas características, ou talvez todas elas. Além disso, podemos perceber que cada pessoa é única e que nossas atitudes poderão ser muito importantes para uma sociedade melhor, mais justa, mais feliz… Então, descobrimos que a nossa existência faz diferença, nada seria igual se não tivéssemos existido.
E você, é feliz? Não? Vamos! O que está esperando para se tornar uma pessoa feliz?
Depende somente de você…

O Importante é ser feliz – Fonte: http://www.leilanavarro.com.br

É isso…
Aproveite sua quarta-feira nublada como se fosse um lindo dia de sol…

Bjo do Rapha!

Canta Elba, Zé e Geraldo…

Luzes da Cidade…

Não importa qual seja…
Quando chega a noite, todas as cidades ficam mais belas com as suas iluminações.
Isso se for o caso de ter iluminação na cidade né…
Tem cidades por esse Brasil a fora que nem sabem o que é eletricidade..
Enfim…
Falando em luzes, lembro de cinema. E procurando bem achei um filme com o mesmo nome do post de hoje.
untitled
No filme… O Vagabundo passeia normalmente pela cidade, e acaba encontrando uma jovem que vende flores. Ao perceber que a mesma é cega, ele se compadece, ao mesmo tempo que parece apaixonar-se pela mesma. Virginia vende flores para sustentar-se e à avó. Por causa de um mal entendido…ela ouve a porta de um carro fechar-se quando ele se despede), ela acaba pensando que o vagabundo é, na verdade, um milionário. Ele, decide mantê-la na ilusão.
Os dois tornam-se amigos, e se vêem constantemente. Na mente dela, trata-se de um lindo milionário. Um belo dia ela fica doente, e sua avó sai para vender as flores. Não é a mesma coisa, e o dinheiro fica pouco. Carlitos decide ajuda-la de algum modo. Ele próprio tem um amigo milionário…que só é amigo dele quando está bêbado) e vai tentar ajuda junto a ele. Não consegue: o milionário está de partida para a Europa.
O vagabundo, em nome da amizade com a cega, decide fazer aquilo que detesta: trabalhar. E vai trabalhar limpando as ruas. Trabalha também como pugilista. Tudo em vão. Consegue pouco dinheiro, mas o que consegue, vai para que ela possa fazer a operação para que finalmente enxergue. Seu “amigo” milionário retorna e…bêbado) promete ajudar-lhe. Em meio a um assalto à casa do milionário, o vagabundo é tomado como um dos assaltantes…há dinheiro em seus bolsos, mas dinheiro dado pelo dono da casa). O milionário, já consciente, nada faz a seu favor. Vai preso.
Tempos depois sai da prisão, tão triste, tão desamparado, que quando algumas crianças começam a caçoar de sua pobreza, reage como uma delas, como quem diz “deixem-me em paz”. É aí que ele vê sua amiga. Ela enxerga. E também tem uma loja de flores. Não passa mais dificuldades. Mas ela não o reconhece, e pensa tratar-se de um pobre coitado que precisa de sua ajuda. Ao pegar em sua mão e entregar-lhe uma rosa, percebe que o milionário que lhe ajudara é, na verdade, aquele pobre vagabundo.

Esse é Charles Chaplin!
Seu estilo de comédia… Uma grande inspiração!

145_rio_at_night_luzes_da_cidade

As luzes da cidade, muitas vezes, não são tão claras ao ponto de iluminar certos acontecimentos. É na calada da noite que tudo acontece. Nos becos, nas esquinas…
Uma nova fauna surge como corujas urbanas.
Personagens de todos os grandes centros. Com uma nova roupagem, novas cores, novos olhares…
É isso…
Um bjo do Rapha!

Canta Vange Leonel…

Fabulando… Beija-Flor

Olha o Beija-Flor aí gente!
Beija_flor
… Era uma vez uma floresta num lugar longínquo, onde o Homem ainda não tinha chegado. Nessa floresta viviam muitos animais de diferentes espécies, tamanhos, cores e feitios. Era ainda o tempo em que os animais falavam.
Certo dia, houve um incêndio, um grande incêndio, como nunca antes havia sido visto. Perante a tragédia, o pânico instalou-se. Os animais fugiam num alvoroço, cada um procurando, da melhor forma possível, fugir às chamas, ao fumo sufocante e ao intenso calor que se fazia sentir, só pensando em colocar-se a salvo o quanto antes.
Mas… naquele cenário caótico, de desespero e medo colectivos, um pequeno animal teve um comportamento diferente. Na sua fragilidade, na sua singela figura, um beija-flor voava até ao lago e, com o seu pequenino e aguçado bico, recolhia, uma a uma, lenta mas persistentemente , gotinhas de água atrás de gotinhas de água, que ia depois deixando cair sobre o incêndio que lavrava cada vez mais descontrolado.
Um outro animal, observando intrigado o comportamento do pequeno beija-flor, interrompeu a sua fuga e perguntou:
– Beija-flor, mas tu estás louco? Porque te arriscas assim? Tu achas verdadeiramente que vais conseguir apagar o incêndio dessa forma?
O Beija-flor respondeu então:
– Não… claro que não, eu sei que o meu pequeno esforço não será suficiente para apagar este incêndio tão grande mas… eu estou apenas…
a cumprir a minha parte!

Beija_Flor_Azul

Beija-Flor: A primeira influência importante dos beija-flores no equilíbrio biológico da natureza se relaciona com a sua função de agentes polinizadores de um grande número de espécies botânicas das florestas, cerrados, caatingas, campos e scrubs. Há espécies botânicas que são polinizadas unicamente por certos beija-flores e, por isto, se dizem plantas troquilógamas. Estão neste caso muitas Campanuláceas, Esterculiáceas e Bromeliáceas e outras.
(…) A polinização pelos beija-flores pode ocorrer com a interferência do bico, da língua, da cabeça, das asas, do peito, da cauda ou do abdome. Outro papel de relevo que desempenham na natureza está relacionado com sua predileção alimentar protéica, quando constituída de dípteros dos gêneros Culex, Anopheles e Simulum, pois, os primeiros são mosquitos transmissores da filariose, os segundos, da febre amarela e da malária, e os últimos, da oncocercose, também denominada cegueira dos rios, cujo vetor é o borrachudo. (…)
Alimentação
Os beija-flores alimentam-se, em sua maior parte, de carboidratos. A proporção é superior a 95%. Retiram-nos do néctar das flores e muitas vezes juntamente tomam certa porção de pólen, além de proteínas, que, como ficou dito, buscam nos insetos que capturam, quer nas flores, quer diretamente no ar (…). Alguns ingerem por dia até 30 vezes seu peso em alimentos; outros, 6 a 8 vezes. (…)
Longevidade e migração
O beija-flor em natureza sobrevive entre 5 e 8 anos, enquanto em cativeiro certas espécies podem viver até 16 anos. A razão está em que normalmente em vida livre, após o quinto ano, muitas espécies se tornam mais lentas e são mais facilmente capturadas por seus predadores, como as cobras, o caburé-do-sol, certos marimbondos, alguns camaleões e ainda aranhas-caranguejeiras da mata. (…)
Fonte: http://www.colegioweb.com.br/biologia/beijaflor
OBS.: Os indígenas deram nomes muito sugestivos para os beija-flores, que descreviam com perfeição esses pássaros encantadores:
Para os índios caraíbas, eles eram os “colibris”, que significa “área resplandecente”;
Os tupis os batizaram de “guainumbis”, ou seja, “pássaros cintilantes”;
Já para os índios guaranis, os beija-flores eram os “mainumbis”, isto é, “aqueles que encantam, junto à flor, com sua luz e esplendor”.
Para os índios Carijós ou Cariós, um beija-flor voando pela tribo era a certeza de uma boa notícia chegando. Uma boa sorte.

Pois é… Esse é o meu talismã!

Meu amuleto de sorte! A minha fonte de energia…

beija_flor_tomada_geral_3

E que ainda é Escola de Samba! Maravilhosa e soberana. Princesa Nilopolitana! A deusa da passarela e do meu coração carnavalesco…

É isso!
Um bjo do Rapha!

Olha a Beija- flor aí gente!

Favelas…

Quem disse que em desfile de escola de samba não se aprende, engana-se!

Um assunto muito presente na vida urbana de cada dia, principalmente nas grandes capitais, é a favela. E eu descobri a origem da palavra, assistindo ao desfile da Leandro de Itaquera no carnaval de São Paulo em 2009.

Pois é… Carnaval é mais que cultura!

“…Favela a nossa raíz

Carente mais sempre feliz…”

leandro

O carnaval carioca tinha, na Praça Onze, a sua melhor vibração popular. Os freqüentadores da Praça Onze eram, sem dúvida, além de outros, os que desciam dos barracos do Morro da Providência, chamado “FAVELA”, nessa sua crista superpovoada, por influência da campanha de Canudos.

Ao regressarem das expedições contra Antônio Conselheiro, no fim do século 19, receberam os soldados do Coronel Moreira Cesar e do General Artur Oscar, alguns recursos para instalar-se em casa própria no Rio. 

Foi ali, nas abas da Providência, que eles o fizeram, e logo disseram que ela era a sua “favela” carioca, numa alusão ao morro do sertão baiano de onde a artilharia legalista bombardeava o reduto daqueles jagunços místicos. * 

E o nome, popularizando-se, ficou sendo também dos nossos demais conglomerados humanos semelhantes para, afinal, figurar depois no dicionário como um novo brasileirismo, bem típico dos tempos modernos, nas nossas atravancadas metrópoles.

(História das Ruas do Rio – Brasil Gerson)

(*) A cidadela de Canudos foi construída junto a alguns morros, entre eles o Morro da Favela. O Morro de Favela tem este nome porque era coberto por uma planta, chamada de favela. Trata-se de uma planta rasteira, característica da região Nordeste.

(Gustavo Stender)

favela

É… Não podemos ignorar a existência delas.

As favelas são o retrato do nosso Brasil…

É isso!

Boa semana…

Por sinal essa é a última semana de maio! Nossa! O tempo passa cada vez mais rápido!

Bjo do Rapha!

Veneradas penas…

Vi essa matéria no site da globo.com e adorei!

Afinal trata-se de um filhote de uma ave, que no futuro será, muito cobiçada pelas pessoas que trabalham no mundo do carnaval, ou em grandes musicais pelo mundo.

Veja faisao1só!

Entre focas, peixes, baleias e golfinhos, que são as atrações usuais, um filhote inusitado apareceu no parque SeaWorld, de San Diego, nos Estados Unidos. O pequeno faisão saiu do ninho há exatamente uma semana e seus pais podem ser vistos voando pelos arredores do parque. Por enquanto, o pequeno faisão tem apenas alguns centímetros, mas quando crescer, poderá ter mais de um metro de altura. Mas ele já mostra as belas penas, características dessas aves.

faisao2

Que fofo né!

Ele nem imagina, que essas veneradas penas, daqui a alguns anos poderá está brilhando na passarela do samba nas costas de uma musa televisiva, de uma porta bandeira ou um destaque vaidoso com dinheiro pra gastar! Ai ai…

112877755

Que sonho!

E hoje é sábado! Dia de não ficar sem fazer nada!

Que tal um Chopp? Só pra distrair…

Bjo do Rapha!

 

“UM CHOPP PRA DISTRAIR”

Ela passou,
Deixando um sorriso no chão
Deu um banho de beleza nos meus olhos
E aí começou o verão
Mil cores pintando o painel
Copacabana…

Ela parou,
Na loja de discos e escutou
A canção que eu fiz pra ela
A minha mensagem de amor
É tudo que eu tenho pra dar
Chorei de amor,
Eu sei, chorei de amor
E um chopp pra distrair…

Um chopp pra distrair,
Um chopp,chopp, pra distrair…

DIVINO!

.mat_1042
Quando chega o fim de maio, começa a acontecer em várias regiões do Brasil, a Festa do Divino Espírito Santo.

É provável que o costume de festejar o Espírito Santo tenha chegado ao Brasil já nas primeiras décadas de colonização. Hoje, a festa do Divino pode ser encontrada em praticamente todas as regiões do país, do Rio Grande do Sul ao Amapá, apresentando características distintas em cada local, mas mantendo em comum elementos como a pomba branca e a santa coroa, a coroação de imperadores e a distribuição de esmolas.
09_MVG_paraty1
Hoje começa a festa em São José – SC No Centro Histórico.

Estarei por lá em algum dos dias!
Bjo do Rapha!

“OS DEVOTOS DO DIVINO”

1.Os devotos do divino vão abrir sua morada pra bandeira do Divino ser bem-vinda, ser louvada, ai, ai.
2.Deus vos salve esse devoto pela esmola em vosso nome. Dando água a quem tem sede, dando pão a quem tem fome, ai, ai.
3.A bandeira acredita que a semente seja tanta, que essa mesa seja farta que essa casa seja santa, ai, ai.
4.Que o perdão seja sagrado, que a fé seja infinita, que o homem seja livre, que a justiça sobreviva, ai, ai.
5.Assim como os três Reis Magos que seguiram a estrela-guia, a bandeira segue em frente atrás de melhores dias, ai, ai.
6.No estandarte vai escrito que ele voltara de novo. E o Rei será bendito, Ele nascerá do povo, ai, ai.

Dia de luz festa do sol…

E depois da tempestade… O sol!
maysabarquinho
Quinta-feira amanhece sem greve e com um lindo dia de sol.

E pra variar uma música se instala na minha mente. Na foto, o LP “Maysa” de 1961.
O disco foge das músicas de fossa que fizeram a fama da cantora, pois segue um estilo todo bossa-nova.
E ainda pela manhã assistindo ao programa “Mais Você” da Ana Maria Braga, antes de levantar da cama e começar o dia, eu fiquei curioso…
Ana Maria recebeu para o café a atriz Zezé Polessa, que está em cartaz com a peça “Não sou feliz, mas tenho marido”.
Zezé disse que tinha acabado de se separar quando começou a explorar o universo das mulheres que estão infelizes no casamento. “Tinha acabado de me separar e comecei a pensar por que as pessoas ficavam casadas há tanto tempo. Fiquei obcecada com esse assunto. Não sou nenhuma doutora, mas no caso da minha personagem, ela foi abandonando a vida dela”, explicou.
Para falar mais sobre o assunto, Ana Maria recebeu Cristina Orsini, uma mulher infeliz no casamento e com a Katia Valladares, psicóloga e terapeuta de casais. “Não tenho nada a esconder, nada a perder e minha relação com ele é aberta”, disse Cristina. Ela contou ainda que, apesar de ter amigos, tem medo da solidão.
Por sua vez, a psicóloga Katia Valadares explicou que muitos motivos levam uma mulher a não se separar do marido. “Além da dependência econômica, muitas mulheres acham que a vida dela vai ser uma desgraça sem o homem ao lado”, disse.

Eis a minha curiosidade!

Como alguém pode continuar vivendo com outra pessoa, sem a existência de amor ou cumplicidade?
Achei uma loucura isso!
Como eu costumo dizer, antes de amar alguém devemos nos amar mais que tudo. Tudo na vida passa. Assim como as pessoas de alguma forma passam também. O barquinho da vida se encarrega de levar. Se for para o nosso bem, levam pra muito longe!

É Isso!
Prepare um drink, admire a paisagem (existente ou imaginária) e deixe se levar pela voz de uma das melhores cantoras que o Brasil já teve.

Bjo do Rapha!

“O BARQUINHO” – Composição: Ronaldo Bôscoli / Roberto Menescal

Dia de luz
Festa de sol
Um barquinho a deslizar
No macio azul do mar

Tudo é verão
Amor se faz
Num barquinho pelo mar
Que desliza sem parar

Sem intenção
Nossa canção
Vai saindo deste mar

E o sol
Vejo o barco e luz
Dias tão azuis

Volta do mar
Desmaia o sol
E o barquinho a deslizar
E a vontade de cantar

Céu tão azul
Ilhas do sul
E o barquinho ao coração
Deslizando na canção

Tudo isso é paz
Tudo isso traz
Uma calma de verão
E então

O barquinho vai
A tardinha cai

Volta do mar
Desmaia o sol
E o barquinho a deslizar
E a vontade de cantar

Aqui embaixo as leis são diferentes

Encontro

Lei (do verbo latino ligare, que significa “aquilo que liga”, ou legere, que significa “aquilo que se lê”) é uma norma ou conjunto de normas jurídicas criadas através dos processos próprios do ato normativo e estabelecidas pelas autoridades competentes para o efeito.

Para que servem as leis? Para quem?
Hoje acordei pensando nisso… E pensando também sobre o assunto greve.

Greve é a cessação coletiva e voluntária do trabalho realizada por trabalhadores com o propósito de obter benefícios, como aumento de salário, melhoria de condições de trabalho ou direitos trabalhistas, ou para evitar a perda de benefícios. Por extensão, pode referir-se à cessação coletiva e voluntária de quaisquer atividades, remuneradas ou não, para protestar contra algo.

E pensando nas pessoas que estão pagando para ir trabalhar… Será que é justo? Ou todos deveriam aproveitar a greve dos transportes públicos de Florianópolis e região, e, fazer suas greves também?
Eu aderi, mesmo tendo carro. Aderi não por protesto! E sim por comodidade. Meu trabalho (por enquanto) pode ser feito dentro da minha casa. Então não quero seguir o ditado ” Quem sai na chuva é pra se molhar”. Não quero me irritar em um transito caótico, nem gastar com combustível. Se posso fazer o que tenho pra fazer na segurança da minha casa.

Voltando as leis…
A palavra lei pode ser empregada em três sentidos diferentes, conforme a abrangência que se pretenda dar a ela. Numa acepção amplíssima, lei é toda a regra jurídica, escrita ou não; aqui ela abrange os costumes e todas as normas formalmente produzidas pelo Estado, representadas, por exemplo, pela Constituição federal, medida provisória, decreto, lei ordinária, lei complementar, etc. Já num sentido amplo, lei é somente a regra jurídica escrita, excluindo-se dessa aceção, portanto, o costume jurídico. Por fim, numa aceção técnica e específica, a palavra lei designa uma modalidade de regra escrita, que apresenta determinadas características; no direito brasileiro, são técnicas apenas a lei complementar e a lei ordinária.

Texto by wikipédia.

Pena que aqui em baixo as leis são diferentes…
Está na música de hoje…
Bjo do Rapha!

ZÉ NINGUÉM

Quem foi que disse que amar é sofrer?
Quem foi que disse que Deus é brasileiro,
Que existe ordem e progresso,
Enquanto a zona corre solta no congresso?
Quem foi que disse que a justiça tarda mas não falha?
Que se eu não for um bom menino, Deus vai castigar!

Os dias passam lentos
Aos meses seguem os aumentos

Cada dia eu levo um tiro
Que sai pela culatra
Eu não sou ministro, eu não sou magnata
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Quem foi que disse que os homens nascem iguais?
Quem foi que disse que dinheiro não traz felicidade?
Se tudo aqui acaba em samba,
no país da corda bamba, querem me derrubar!!
Quem foi que disse que os homens não podem chorar?
Quem foi que disse que a vida começa aos quarenta?
A minha acabou faz tempo, agora entendo por que ….

Cada dia eu levo um tiro
Que sai pela culatra
Eu não sou ministro, eu não sou magnata
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes (4X)

Os dias passam lentos
Os dias passam lentos

Cada dia eu levo um tiro
Cada dia eu levo um tiro
Eu não sou ministro, eu não sou magnata
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes…

« Previous entries